fbpx
Marketing barato e eficaz: 6 dicas para pequenas empresas

Marketing barato e eficaz: 6 dicas para pequenas empresas

Marketing barato e eficaz: 6 dicas para pequenas empresas. 

Marketing parece ser uma ferramenta cara, não é mesmo? Nem tanto assim. Nós selecionamos 6 dicas de marketing barato e eficaz para pequenas empresas com seus respectivos valores estimados para compartilhar com você que precisa de bons resultados com pouco custo. Confira!

1- E-mail Marketing – Quando foi a última vez que você conversou com seus clientes? É mais fácil nutri-los em vez de ir em busca de outros. O e-mail marketing pode se tornar uma ferramenta prática e rápida para fazê-lo. Mas antes de sair disparando e-mails, pense no tipo de mensagem que você quer enviar. Que tal uma mensagem divulgando algum conteúdo útil relacionado à última compra de seu cliente? Algo que possa realmente ajudá-lo a solucionar algum problema? Mantenha uma conversa construtiva, personalizada e amigável através do e-mail.

Preço: você pode encontrar pacotes de R$ 19,00 com disparo ilimitado para 1.000,00.

Nosso toque: não se esqueça, tudo com Opt-in!– que consiste na prévia autorização de seus clientes para receber os seus e-mails. Dúvidas sobre como funciona a regulamentação do e-mail marketing? Confira o Código de Autorregulamentação para prática de E-mail Marketing da ABEMD.

 2 – Redes Sociais – Não é de hoje que se sabe a importância das redes sociais na comunicação e o quanto as pessoas passam navegando por elas. Estar nas redes sociais de extra não tem mais nada, só se for o fato de ser extremamente importante. Segundo o Facebook, 1,4 bilhão de pessoas acessa a rede, e 900 milhões o fazem todos os dias. Além do mais, as redes sociais permitem uma segmentação e diálogo sem igual com o público : onde vive, idade, comportamento, o que gosta, o seu último check-in – informações valiosas para você saber o que oferecer e como oferecer, resultando em engajamento e impactando o resultado de suas vendas.

Preço: o valor vai depender do tipo de resultado que você espera. Mas, só para se ter uma noção, o investimento de R$250,00 no Facebook possibilita até 500 curtidas a mais em sua página do público que desejar, já que, como falamos, é possível segmentar seu público de uma maneira sem igual.

 3 – Blogs – blogging não é mais atrelado apenas a texto pessoal. Atualmente as empresas produzem conteúdos para se tornarem cada vez mais relevantes e presentes na vida das pessoas, com informações que geram interesse e solucionam problemas, ajudando, consequentemente, seus sites a conseguirem uma boa colocação nos resultados de busca. Afinal, não é por isso que você está lendo este texto neste blog? Porque a mensagem lhe interessa e você pode ter pesquisado pelo assunto.

Preço: inteiramente gratuito! Existem diversas ferramentas para blog, dentre elas o WordPress.

Nosso toque: não utilize blogs para vender produtos! Deixe apenas o espaço específico que já existe em seu site para isso. Crie conteúdo útil que tire dúvidas e é efetivamente pesquisado pelas pessoas. E não se esqueça da periodicidade! Veja seu conteúdo como uma revista eletrônica e deixe seus visitantes ansiosos pela sua próxima postagem!

 4- Landing Pages – são páginas distintas mas interligadas a algum conteúdo de seu site, que abrigam uma oferta correlata. Para receber essa oferta, fazer o download, ou ter acesso ao conteúdo, o visitante deve deixar seus dados. Essa prática é ótima para se conseguir leads.

Preço: inteiramente gratuito! Você pode utilizar ferramentas como o WordPress. Também existe a WishPond com o plano básico de R$ 45,00, que te dá mais algumas opções como sorteios e concursos nas redes sociais.

Nosso toque: o que você oferece é proporcional às informações que poderá conseguir do cliente. Pense em ofertas criativas, únicas e úteis para obter dados preciosos e mais precisos!

 5- Webinars – tem um produto muito técnico? Seu público é mais visual? Ou você simplesmente gosta de uma comunicação mais interativa? Considere produzir webinars, que são webconferências que podem esclarecer as dúvidas de seus clientes, ajudá-los a utilizar um produto, ou atualizá-los de seu segmento e estreitar o seu relacionamento com eles.

Preço: Existem ferramentas gratuitas como o Google Hangouts, mas o problema é que há um grande delay nos áudios e não há um chat integrado. Para evitar acontecimentos inesperados, existem empresas como a Eventials com planos a partir de R$69,00 por mês para que você faça o seu webinário, com alguns itens bem interessantes para deixar seu evento ainda mais estratégico.

6 – Unir todas as dicas anteriores em uma estratégia interligada de Inbound Marketing – Que tal juntar todas as ações e criar uma campanha bem estratégica, com a qual você possa medir os resultados, gerar 3 vezes mais leads do que as práticas que costuma utilizar e gastar muito pouco com isso? Se você se interessou pela ideia, veja o nosso artigo sobre o Inbound Marketing.

Nosso toque: percebeu como repetimos o termo útil nesse texto? É porque ser útil na vida de seus clientes é a chave para o sucesso, em qualquer comunicação e campanha de Marketing que se cria. Abuse de utilidade e criatividade!

Um toque extra – nós sabemos o quanto é corrido quando se tem um pequeno negócio, pois existem muitos fatores a serem gerenciados, mas Marketing é essencial. Se você acha que não terá tempo hábil para administrar o seu Marketing, considere contratar um profissional ou uma agência, pois se não houver um bom planejamento e uma correta execução das ações, os resultados não serão bons como o esperado e você estará desperdiçando o seu tempo e seu dinheiro. Com profissionais competentes, você terá campanhas poderosas que vão se auto pagar e cobrir o próprio valor dos profissionais, aumentar suas vendas e gerar mais lucro. Tenha em mente sempre a melhor estratégia a ser tomada e pense grande e a longo prazo!

O que é Inbound marketing?

O que é Inbound marketing?

Então prepare-se para ler atentamente esse conteúdo, pois esta brilhante ferramenta está se posicionando como o novo Marketing e tem ajudado ( e muito!) pequenos e médios negócios, pelo fato de ser muito mais barata e ser mais efetiva para gerar leads qualificados do que o Marketing Tradicional (que ficou conhecido como Outbound).

A diferença do Outbound (tradicional) para o Inbound

A principal diferença é a forma como as duas ferramentas se comunicam com o público.

No Outbound, você corre atrás de prospects através de mídia intrusiva, como um comercial que muitas pessoas não querem ver mas são obrigadas, um banner que “pula” na tela antes de se chegar ao conteúdo de um blog, quando você entrega flyers que as pessoas não querem ver e, enfim, qualquer tipo de ação de comunicação que as pessoas se sintam obrigadas a absorver. O mais interessante é que, no Marketing Tradicional, tenta-se ao máximo segmentar o público-alvo para que a mensagem chegue a quem tem que chegar, mas de fato uma parte das pessoas não é o público daquele produto do comercial e mudará de canal, ou não lerá nada daquele banner intrusivo, ou simplesmente jogará o flyer no lixo na próxima esquina. Com o Inbound o caminho é inverso: os prospects correm atrás de você. Mas por quê? Porque essas pessoas estão interessadas no que você tem a apresentar e pesquisam por isso. O Inbound utiliza-se da internet de maneira inteligente, para que você sempre esteja lá para ser a resposta dos problemas dos prospects. Ao contrário do flyer, do comercial e do banner saltitante, todas as pessoas que clicam no seu conteúdo tem algum tipo de interesse no seu expertise! E para ficar melhor: é uma ferramenta 100% mensurável – todas as suas ações podem ser medidas e analisadas, fazendo com que você se transforme em uma máquina de conteúdo e resultados do seu segmento!

O Inbound na prática

Você sabia que mais de 90% das pessoas utilizam a internet para decidir sobre uma compra, tanto para negócios B2C quanto para B2B, e que a internet tem um peso maior do que a própria indicação de amigos, familiares e colegas? Aliás, é bem comum ir dar aquela conferida na internet depois que alguém de confiança indica algum produto/serviço.

Fazer o Inbound na prática é considerar esses dados valiosos e utilizar esse novo comportamento do consumidor ao seu favor. O consumidor quer ser educado. Ele quer entender e aprender sobre o segmento do produto em questão, quer ter a certeza de que avaliou todas as informações importantes para realizar uma boa compra. Além disso, ele quer se relacionar, se sentir especial. Assim, no Inbound, sua função é educá-lo, ao mesmo tempo em que esse processo possibilita um relacionamento sem igual entre prospects e a empresa.

Blogs, e-books, webinars, whitepapers – dentre tantos outros – são alguns dos formatos pelos quais você pode produzir conteúdo relevante para educar seus prospects. Mas não é simplesmente ir produzindo conteúdo sobre aquilo que você acha interessante e esperar cliques e downloads no seu site. É preciso estudar o seu público e definir uma persona, que é um perfil de cliente ideal para seu negócio.

Entendendo e traçando a persona de seu negócio, você está apto para produzir conteúdo relevante, que deve ser otimizado com um ótimo SEO (conjunto de ações que vão otimizar o conteúdo na busca orgânica) e ter uma ótima divulgação através das mídias sociais e e-mail marketing.

Mas e os leads qualificados- como são gerados? Você cria o conteúdo estrategicamente através dos formatos citados, e oferece algum conteúdo muito especial para se fazer o download em uma landing page. Nela, o prospect se propõe a deixar seus dados para adquirir aquele conteúdo, e assim você o converte em lead, e, com mais conteúdo, você vai encaminhando-o para qualificá-lo, para mais tarde transformá-lo em cliente, em um processo contínuo de relacionamento. Afinal, fica mais fácil comprar com quem você já conhece e responde todas as suas perguntas.

O que eu posso ganhar com o Inbound?

  • Leads qualificados
  • Tornar-se autoridade no segmento
  • Criar empatia
  • Tornar-se uma máquina de resultados, com um Marketing 100% mensurável, analítico e reflexivo
  • “Top of Mind” da internet – se você sempre cai nos resultados da busca do seu segmento, você é lembrado por quem busca informações.
  • Fazer ações digitais que realmente dão resultados, gastar menos dinheiro e ganhar muito mais.

Pontos para se considerar ao implantar o Inbound Marketing para os seus negócios

Seu site: ele é responsivo (o conteúdo se adapta a diversas plataformas, desde um computador até um smartphone), é agradável e intuitivo? Antes de pegar papel e caneta para traçar a sua estratégia, o principal é ter um bom site. Afinal, é através dele que todo o seu conteúdo será gerado, e é ali que acontece a conversão dos prospects e é onde eles podem decidir sobre o momento de compra quando estão em dúvida entre o seu produto e o dos concorrentes. As pessoas demoram apenas alguns segundos para decidir se continuam ou não em um site, e basta alguma distração ou dificuldade para que fechem a aba sem dó. Não perca oportunidades por não oferecer o básico.

Suas metas: Quais são suas metas com o Inbound? É gerar leads? Relacionar-se? Vender mais? A ferramenta é capaz de fazer tudo isso e muito mais, mas tenha em mente e em documento metas definidas para ter resultados sólidos.

Seu expertise para realizar as ações: de nada adianta criar uma excelente estratégia se não tem como colocá-la em prática. Landing pages, e-mail marketing, conteúdos, design, e-books, SEO precisam ser executados de uma maneira correta para gerar resultados. Se você não tem expertise nisso, não se arrisque e perca seu tempo. Considere conversar com especialistas no assunto e deixar que o façam por você e foque naquilo que o faz ser o melhor!